Home / CIDADES / GOIANÉSIA / ASSASSINO DE ADÉLIA BILLOTE É APRESENTADO PELA POLÍCIA

ASSASSINO DE ADÉLIA BILLOTE É APRESENTADO PELA POLÍCIA

Foi apresentado a toda imprensa local, nesta manhã de quarta-feira, dia 26, nas dependências da 15ª DRP de Goianésia, o latrocida Jeferson Barbosa da Silva, de 18 anos, vulgo ‘Jefinho da Lagoa’. O mesmo foi preso durante operação policial, envolvendo policiais civis e militares, no final da tarde de ontem (25/10).

Uma vez preso, ‘Jefinho da Lagoa’ confessou ser ele o autor do latrocínio que vitimou a idosa Adélia Oliveira dos Santos Billoti, ou simplesmente ‘Delú’ – como era carinhosamente chamada por amigos e familiares –, de 75 anos. Inclusive, a aposentada completaria, se estivesse viva, 76 anos de idade no dia de ontem, data da prisão de seu algoz.

O crime 

idosa-1
Adélia Oliveira dos Santos Billoti, de 75 anos.

O corpo da idosa foi encontrado por amigos e familiares, na noite do último dia 21, em sua residência, localizada no Bairro São Cristóvão, quando então, a Polícia Civil foi acionada. Na ocasião, os policiais identificaram que o celular da vítima havia sido subtraído (roubado), e, perceberam algumas pegadas no quintal da casa que estavam direcionadas ao muro da residência, levantando suspeitas de que alguém teria invadido o local e posteriormente deixado o mesmo pulando o muro da casa. Uma perícia foi realizada, inclusive com a coleta fotográfica das pegadas deixadas, e o corpo da vítima foi encaminhado para o IML, onde ficou constatado a morte violenta da aposentada por meio de asfixia mecânica, ou seja, estrangulamento, e, intensa hemorragia, provocada por pancadas no tronco (tórax e abdômen).

Investigação policial 

jefinho-lagoa-2
Pegadas deixadas pelo criminoso no quintal da casa da vítima.

De acordo com o delegado de Polícia Marco Antônio, titular da 15ª DRP – Delegacia Regional da Polícia Civil de Goianésia –, as diligências investigatórias levaram a localização de testemunhas, que direcionaram ao nome de ‘Jefinho da Lagoa’. Após incessantes buscas, ele foi preso. No momento de sua prisão, ele estava acompanhado por mais 04 pessoas, que acabaram indiciadas, por terem participado da compra e da venda dos objetos roubados da vítima. Dos quatro, dois foram autuados em flagrante delito por receptação, posse ilegal de arma de fogo e munições. “Um dos presos estava com um revólver calibre 32, e o outro, tinha as munições”, pontuou Marco Antônio.

Marco Antônio esclareceu ainda que, ‘Jefinho da Lagoa’, além de confessar o crime, teria afirmado que vendeu o aparelho celular roubado da vítima por R$ 40,00, e que, teria utilizado o valor para comprar cerveja e crack.

Uma vida bandida 

jefinho-lagoa-4
Jefinho da Lagoa se exibindo em fotos.

Enquanto ainda menor de idade, ‘Jefinho da Lagoa’, colecionava inúmeras passagens pela Polícia, pelo Conselho Tutelar e pelo Juizado da Infância e Juventude. O mesmo seria autor de mais de duas dezenas de atos infracionais, análogos a diversos crimes, tais como: participação em homicídio, roubo, tentativa de latrocínio, furto, tráfico de drogas, dentre outros, totalizando assim, só em Goianésia, 22 passagens. Depois que completou a maioridade penal, este já é o segundo crime praticado por ‘Jefinho da Lagoa’.

Rivalidade

No início do mês de julho deste ano, ‘Jefinho da Lagoa’, numa batalha por ‘espaços’, chegou a ser atingido por cinco disparos de arma de fogo no Parque da Lagoa Princesa do Vale, próximo de sua residência. Na ocasião, ele foi alvejado com um disparo no tórax, um no abdômen e três nas costas. Socorrido e operado, acabou se safando da morte. Em setembro ele foi preso e autuado em flagrante por receptação de motos roubadas, mas foi colocado em liberdade pela ‘Justiça’ no fim da tarde de quinta-feira, dia 20, e, em menos de 24 hora, já estava cometendo novo crime, desta vez, o latrocínio contra dona Adélia.

Revolta e dor 

jefinho-lagoa-1
Jefinho da Lagoa ao ser apresentado à imprensa.

Sociedade, familiares e amigos da aposentada Adélia Billoti, ficaram perplexos com tamanha brutalidade empregada pelo autor do crime contra a indefesa vítima, já fragilidade pela idade.

Um dos policiais envolvidos na investigação, que pediu o anonimato, disse que a legislação penal brasileira atual, vive num verdadeiro devaneio, ao não endurecer as penas e punições aos criminosos, principalmente se este ‘criminoso’ é menor de idade. “O ‘Jefinho da Lagoa’, cometeu 22 atos infracionais, estes, ao menos, que foram identificados pela Polícia, mas, ao mesmo tempo, apesar dos esforços dos policiais em tirá-lo das ruas, não encontrou amparo suficiente na legislação, uma vez que, nunca recebeu uma ‘punição’ a altura de seus atos cotidiano. E agora, tira, covardemente, a vida de uma senhora indefesa, ‘só para satisfazer suas vontades pessoais’. Isso é um absurdo”, desabafou o policial.(texto Route News)

Leave a Reply

Subscribe to our Channel

Featured Video